24 de janeiro de 2009

Leves rabiscos sobre o poema Um Bem-te-vi

“Segundo Roland Barthes , a função utópica da literatura consiste na busca infinita de representar o real através da linguagem. Essa utopia da linguagem presentifica-se no texto a partir de “expedientes verbais” que tentam encenar a realidade.”



UM BEM-TE-VI

O leve e macio
raio de sol
se põe no rio.
Faz arrebol...

Da árvore evola
amarelo, do alto
bem-te-vi-cartola
e, de um salto

pousa envergado
no bebedouro
a banhar seu louro

pelo enramado...
De arrepio, na cerca
já se abriu e seca.

BARROS, Manoel de. Um bem-te-vi, In: Compêndio para uso dos pássaros. 3ª [ Ed. Rio de Janeiro: Record, 1999. P.31.

Ah, Manoel de Barros ... Poeta que se vale do ambiente natural de sua terra natal e retrata através das palavras, como um “take fotográfico”, imagens simples e precisas da natureza como o banho de um bem-te-vi... Primeiramente é feita uma descrição do cenário natural: O leve e macio/raio de sol/ se põe no rio./faz arrebol; percebe-se a mistura de dois órgãos dos sentidos humanos: o tato e a visão, com a finalidade de retratar o pôr-do-sol no rio com suas cores amarelovermelhoalaranjadas. As reticências representam o entardecer desse dia com as suas propagações de cores quentes e marcantes.
Na segunda estrofe, inicia-se a descrição da motivação do presente poema, o bem-te-vi. Ele surge, em vôo do alto da árvore e na passagem dessa estrofe para a próxima, o eu - lírico faz uma pausa para representar o vôo da ave: e, de um salto/pousa envergado, assim como na passagem da terceira estrofe para a quarta, delicadamente somos testemunhas do banho do bem-te-vi, seguido do posterior contato das penas do pássaro com a folhagem ao seu redor. Todos esses acontecimentos se sucedem encadeados na passagem de uma estrofe para outra, na tentativa de representar, em palavras, uma imagem tão corriqueira da natureza.
Por fim, os versos De arrepio, na cerca/já se abriu e seca nos remete ao movimento ligeiro que as aves fazem quando se secam após um banho.
Eis mais um exemplo de beleza literária que busca eternamente retratar a vida através de recursos lingüísticos excepcionais que nos presenteiam com versos de muita leveza, beleza e singeleza.Termino assim, com uma citação do autor do poema:
Quando as aves falam com as pedras e as rãs com as águas - é de poesia que estão falando.

[Manoel de Barros]

Nota explicativa sobre o post: Leitura do poema proposto pelo professor de Teoria da Literatura I,no meu 1° semestre da faculdade de Letras Língua Portuguesa, datado de 18 de novembro de 2002...

8 de janeiro de 2009

O novo acordo ortográfico vem aí... E agora, José?


Agora é pra valer, desde o raiar de 2009 o novo acordo se encontra entre nós, países de língua portuguesa! As letras K, W e Y ganham espaço no nosso alfabeto... Espaço esse que já existia nos nossos dicionários... Cada uma faz o seu show, marcando presença nos Kafkas, Wagners em todos os Km percorridos e Kg engordados... O trema sai de cena, mas garante que nas nomenclaturas estrangeiras de lá ele não sai, de lá ninguém o tira: Gisele Bündchen respira aliviada! E por falar em sair de cena, os acentos tônicos dão no pé, levando consigo os diferenciais, que por sua vez puxam os circunflexos e agudos dos ditongos abertos, de algumas formas verbais e dos hiatos. Ah, o hífen, esse garoto enxaqueca que tá dando o que falar... [ quem não sabia usar, vai continuar sem saber]
E agora, José?
Desde 1986 o acordo tentava ganhar espaço entre os usuários da língua portuguesa com a finalidade de unificar a forma de escrever nos países lusófonos. Para Evanildo Bechara, um dos principais gramáticos brasileiros e membro da área de lexicografia da Academia Brasileira de Letras, o acordo é satisfatório visto que há 100 anos se tenta arrumar o idioma escrito. Por mais que alguns considerem o acordo positivo, seja por questões diplomáticas ou qualquer outro motivo, isso não o torna acessível! Digamos que as mudanças incentivarão o retorno ao estudo da boa e velha [nova] norma. O mercado editorial agradece e boa parte das reedições dos dicionários e outros exemplares será custeada pelos contribuintes. O que vai ser da vida dos professores? Ainda não há garantias de treinamentos para eles...
Nosso tempo de adaptação ao acordo promulgado desde setembro de 2008 será de 4 anos... Já os portugueses terão 6, visto que as mudanças pros lados de lá foram bem maiores e mais aterrorizantes, pobrezinhos! Segundo a Revista Veja, será lançado em fevereiro um manual chamado Vocabulário Ortográfico, que constará de 360.00 palavras elaboradas por Bechara e colaboradores e que, após os quatro anos estabelecidos, poderá sofrer adaptações.
Mas, e agora José?
O jeito é recorrer aos manuais na esperança de uma autoaprendizagem a fim de alçar vôos sobre-humanos.


Ps.: Sugiro que vocês baixem um manual que está disponível no link a seguir: GUIA PRÁTICO DA NOVA ORTOGRAFIA

21 dias com Elizabeth Elliot: Nada é meu (19)

 "If we hold tightly to anything given to us unwilling to allow it to be used as the Giver means it to be used we stunt the growth of...

•top sabores•