15 de maio de 2009

Os mitos que cercam o ato de escrever*




-->
Muitos mitos cercam o ato de escrever. Farei aqui uma série de posts nos quais gostaria de mostrar verdades e mentiras sobre o assunto, bem como fornecer dicas aos meus diletos visitantes. A fonte de pesquisa encontra-se no final do texto.


Nos tempos de escola, acabamos cristalizando alguns mitos a respeito das famosas redações (prefiro chamá-las de produção textual). Algumas dessas crenças têm fundamento nos livros didáticos e na cultura escolar em geral. Geralmente a relação das pessoas com a escrita é um pouco desastrosa e isso reside em muitos equívocos que ouvimos no decorrer da vida. Muitos de nós crescemos com a ideia de que nunca seremos bons escritores, que não há possibilidades de amadurecer um texto e até mesmo que escrever é um dom, quae uma dádiva dos céus a alguns mortais. Será que você se encaixa no grupo dos mortais que não foram beneficiados com o dom da escrita? Caso a sua resposta foi não, meus parabéns, pois até os maiores escritores que conhecemos se sentem inseguros e até mesmo incapazes diante da folha em branco. A tarefa da escrita é uma das mais complicadas que enfrentamos ao longo da vida principalmente porque envolve subjetivismo e muito esforço, mas eu tenho uma ótima noticia pra você: todos são capazes de escrever bem!


Vejamos as falsas crenças e os mitos mais freqüentes sobre a escrita que conversaremos nos próximos posts: “a escrita é um dom que poucas pessoas têm; é um ato espontâneo que não exige empenho; é uma questão que se resolve com algumas ‘dicas’; é um ato isolado desligado da leitura; é algo desnecessário ao mundo moderno; é um ato autônomo, desvinculado das práticas sociais.”
*Fonte: GARCEZ, L. H. do Carmo. Técnica de redação: o que é preciso saber para bem escrever. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

Até breve! Segue um vídeo fofo que eu gostaria de compartilhar com vocês:



10 comentários:

Caceres disse...

Adorei, com certeza vou seguir toda a série. Eu escrevo bastante, tenho uns cadernos para isso, e também quando estudo (sempre estudo resumindo tudo), além do blog e dos e-mails que mando, e das várias petições no estágio. Como estudo para concurso, então tenho de saber escrever razoavelmente bem, principalmente porque os concursos de Direito estão cada vez mais exigentes. Tenho muita preocupação com o que escrevo, apesar de saber que sou um grande amador.

De vez quando em quando dou uma lida na minha gramática, de Cereja e Magalhães, para tirar uma dúvida ou outra. As relações semântico-conjuntivas são um desafio para mim até hoje. O uso das vírgulas: outro desafio; dei uma lida no Celso Luft, que me deu uma ajuda para entender algumas coisinhas.


Aliado a tudo isso, a criatividade, a fluidez das ideias, as referências...

Adorei a ideia.

Mauro Castro disse...

Escrever não tem nada de extraordinário. Até um taxista é capaz de escrever... Não acha?
Eu queria mesmo é escrever como o garotinho do vídeo.
Há braços!!

Debby disse...

Oba, sejam bem-vindos aqui ^^

GABRIEL, gustavo disse...

Muito boa, fessora.

Demorei para sacar que para escrever bem a gente tem que praticar. Agora que eu descobri, eu também faço questão de dizer aos outros.

^^

Mimi disse...

Muito fofo o vídeo, mas me pareceu tao irreal. Vc q tá em contato com esse mundo, o q achou?
Beijos

Debby disse...

O vídeo exagerou um pouco na dose, Mimi, mas eu acho que no futuro, esse menino será um ótimo escritor. =)

Nathi disse...

Olá Professora!!
A sua iniciativa me agrada!

Achei o video fofo mesmo, apesar de achar que este garotinho ser filho do Fernando Pessoa com Carlos D. de Andrade, mas são detalhes!

Beijoka*

Debby disse...

Oi Nathy!
Pois é, eu queria ter um filho assim, haha. Se bem que o comercial exagerou um pouquinho. Na publicidade nada é por acaso, até os exageros!
Bjoks

Smile disse...

Olá, Débora.
Parabéns pelo blog. Acabei de conhecê-lo, mas já gostei bastante. Tinha que fazer uma redação sobre " Os mitos que cercam o ato de escrever ". " Googlei " e encontrei seu blog. Aproveitei para ler outros posts e gostei. Você acaba de ganhar mais um seguidor.

Rodrigo - Brasília

Débora Oliveira disse...

Olá,Rodrigo!Volte sempre e obrigada pela visita!!

21 dias com Elizabeth Elliot: Nada é meu (19)

 "If we hold tightly to anything given to us unwilling to allow it to be used as the Giver means it to be used we stunt the growth of...

•top sabores•