25 de janeiro de 2010

Eu sou assim (?)




Definir-se é uma incompletude. No final das contas, fico entre o que sou e o que digo ser...
Com o passar do tempo assumo outras matizes,mas no fundo, a essência se mantém. Parece contraditório, mas quem sabe se o fato de ser hoje de uma forma e amanhã de outra, não vou construindo pedaços da minha própria essência?

Sou toda sensibilidade, porém capaz de sentir bem mais do que mostrar os meus sentimentos.
Prefiro a verdade, mesmo que dolorida a uma mentira bem contada, pois o resultado da segunda é mais devastador que o da primeira.

Sou capaz de entrar em lugares sem ser percebida. Prefiro ficar nos bastidores e se for reconhecida, que seja pelo que fiz quando ninguém estava olhando.

Gosto de ouvir as pessoas. Cresço e sobrevivo da experiência alheia, garimpando as que me são úteis. Ao mesmo tempo, não deixo passar a oportunidade de crescimento pela minha vivência.

Sou tão romântica, piegas e ridícula quanto uma carta de amor, como diria o grande Fernando Pessoa...

Adoro ler. Se não for assim, como seria eu a mocinha, a princesa, a fada e porque não a vilã? Como iria a Paris, Narnia, Combray ou a rua de Matacavalos tão falada por Machado de Assis? Tantos mundos, eras e portais se abrem quando abrimos um livro. Minha imaginação bate asas e a cada enredo me encontro.As entrelinhas saltam como uma imagem tridimensional e se deixam captar como uma tela de cinema cujas projeções são nada mais nada menos que particulares.

Acima de tudo, amo a Deus, com todas as forças que tenho e ainda assim é insuficiente.O amor que um dia Ele me deu é incondicional e me constrange a buscar uma vida que o agrade a cada dia.A morte e ressureição do Seu Filho foi capaz de dividir a história e é a prova de amor mais linda que alguém poderia dar, eu não mereço. Estava eu morta e a sua morte me trouxe a vida, que paradoxal!

E assim, sendo eu e ao mesmo tempo outros eus, essa definição segue assim, incompleta. Caberia aqui a figura de um espelho e a profundidade da imagem que é refletida, sendo que ao invés de revelar o exterior, mostra o que vem de dentro...

12 comentários:

Moacy Cirne disse...

Oi,
você é natalense, ou mora em Natal?
(Descobri que você é corinthiana.)
A gente se conhece?
(Acredito que não.)
Grato pela visita ao Balaio.
Aos poucos,
vejo e leio o seu blogue.
Espero que não fique incomodada
com o meu ateísmo juramentado.
É um ateísmo de paz.

E volte a prestigiar o ABC, viu?
(No Rio, sou tricolor; em Natal,
sou ABC, mas sem essa de professar
o antiamericanismo.)

Um abraço.

Debby disse...

Olá Moacy, não nos conhecemos. Sou natalense e resido aqui ainda!

Aqui todos são bem-vindos, independente da crença, haha!

Não vejo a hora de prestigiar o ABC novamente! Tb não professo antiamericanismo,tô fora!
;)

Anne disse...

Oi Debby, bonito texto, eu já esqueci como é gostoso ler e mergulhar na história, há tanto tempo que não leio um livro assim... mas é a vida, e o momento em que estou não me permite muita leitura, mas espero poder voltar a entrar nas histórias logo, logo!

Stephanie Lima disse...

Realmente... como eu poderia chegar até Narnia se não fosse um livro... adorei!!

Flávio Américo disse...

Menina, que texto belíssimo! Sua escrita cativa e faz viajar como os livros mencionados por vc. Tb ajuda a olhar para o que vem de dentro, como um espelho!

abraços,

Flávio Américo

Junia disse...

Que lindo, Debbynha! Ler é muito, muito bom! Sou uma nerd rematada, por isso sou suspeita de dizer, mas ah! como é bom ler...

Nathi disse...

Débora, você é muito especial, ainda estou iluminada pelo seu sorriso. Mesmo arrasada por dentro vi que seus olhos radiam esperança, aquela que é dificil de encontrar por aí!

Beijos

Monique Cezar disse...

Tá tudo lindo: texto lindo e pensamentos lindos Amei simplesmente. Eu também tenho muito dessas coisas que vc tem. Vamos nos preocupar em viver e menos com as definições. Xero, gatona. Orandoporvc :*

Caceres disse...

Eu também sou mais bastidores, sou mais Ringo do que Lennon. Lembrei do Antunes: "somos o que somos, inclassificáveis".

Srtª Elis° disse...

AHHH amei seu blog.... viu garota.... muito bem ..!

Rita disse...

Estamos em transformação, não é Debby? Talvez por isso seja mesmo muito difícil nos definir. Contudo se você não tentasse, não teríamos a oportunidade de ler este seu texto tão bonito.
=)

Gostei muito!
Parabéns!
Beijo =*

Rodrigo Sensei disse...

Hoje é que vi seu comentário no meu Blog "Sensei que nada sei". Não costumo responder por lá, por isso vim até aqui ler o seu texto com o mesmo objetivo do meu: tentar descrever a si mesmo.

Muito bom!

Até!

Good People (Spoiller Alert!), de David Foster Wallace

Leia o texto a seguir e somente após ter feito isso, volte e leia a análise: GOOD PEOPLE Two young Christians and an unwanted pregna...

•top sabores•